Notícia

A terra da Irlanda acaba com a ameaça de germes multirresistentes?


Estirpe bacteriana desconhecida inibe o crescimento de patógenos resistentes

Os pesquisadores descobriram agora uma cepa bacteriana desconhecida no solo da Irlanda, que é eficaz contra quatro dos seis super patógenos mais importantes que já são resistentes a antibióticos.

Em sua investigação, os cientistas da Swansea University Medical School descobriram que o solo especial da Irlanda contém uma cepa bacteriana que pode ser usada no futuro para combater patógenos resistentes a antibióticos. Os médicos publicaram os resultados de seu estudo na revista em inglês "Frontiers in Microbiology".

OMS alerta para super patógenos resistentes

De acordo com os estudos mais recentes, os super patógenos resistentes a antibióticos podem custar a vida de cerca de 1,3 milhão de pessoas na Europa até 2050. A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreve o problema como uma das maiores ameaças à saúde global, segurança alimentar e desenvolvimento atualmente.

De onde vieram as amostras de solo examinadas?

O solo, analisado pelos especialistas, veio de uma área de Fermanagh, na Irlanda do Norte, também conhecida como Boho Highlands. É uma área de pastagem alcalina e diz-se que o solo tem propriedades curativas. A busca por antibióticos de reposição para combater a resistência a múltiplas drogas levou os pesquisadores a investigar novas fontes.

O crescimento de bactérias gram-positivas e gram-negativas foi inibido

Tradicionalmente, uma pequena quantidade de solo era previamente embrulhada em um pano de algodão nas terras altas de Boho e usada para tratar inúmeras doenças, como dor de dente, garganta e infecções de garganta. Os médicos examinaram os efeitos curativos das amostras de solo colhidas nessa área. Eles descobriram que o crescimento de quatro dos seis patógenos multirresistentes mais importantes foi inibido pelas bactérias na terra. Os cientistas chamam a nova cepa bacteriana Streptomyces sp. Mirophorea ligou. As bactérias gram-positivas e gram-negativas, que diferem na estrutura da parede celular, foram inibidas pela terra. Como regra, as chamadas bactérias gram-negativas são mais resistentes aos antibióticos, dizem os cientistas. Ainda não está claro qual parte da nova cepa impede o crescimento de patógenos, mas a equipe de pesquisa já está investigando isso.

Outros remédios tradicionais devem ser examinados mais de perto

Essa nova cepa bacteriana é eficaz contra quatro dos seis patógenos resistentes a antibióticos mais comuns, incluindo MRSA. Essa descoberta é um passo importante na luta contra a resistência a antibióticos, explica o autor do estudo, professor Paul Dyson, da Swansea University. Os resultados mostram que o folclore e os medicamentos tradicionais devem ser considerados quando se procura novos antibióticos. Cientistas, historiadores e arqueólogos podem fazer sua parte nessa tarefa. Parece que parte da resposta para esse problema muito moderno pode ser a sabedoria do passado, acrescenta o especialista.

Mais pesquisas são necessárias

A descoberta de substâncias antimicrobianas de Streptomyces sp. Espero que a miroforéia ajude na busca de novos medicamentos para tratar bactérias multirresistentes, que são a causa de muitas infecções perigosas e fatais. Os médicos agora querem se concentrar na limpeza e identificação desses antibióticos. Organismos antibacterianos adicionais já foram descobertos no solo, o que poderia cobrir um espectro mais amplo de patógenos multirresistentes. (Como)

Informações do autor e da fonte



Vídeo: PERGUNTE AO ATEU feat. Pirula (Janeiro 2022).